sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Conquistar ou ser conquistada - o que queremos, afinal?

Já sei. Leu o título e pensou: nossa, que bobagem, é óbvio que queremos ser conquistadas!
Será???
Sim, claro que gostamos das investidas sedutoras de um homem, afinal, elas fazem bem demais ao ego, nos deixam animadas, confiantes, cheias de energia até - sem exagerar. E, sinceramente, gente, tem uma questão básica aí que muitas vezes a gente tenta renegar. To falando da natureza humana mesmo, das diferenças entre homem e mulher, já passamos da fase boboca feminista de achar que somos todos iguais e teríamos que ter os mesmos papéis. Nem pensar!
Homem tem sim que convidar a mulher para sair, pensar num lugar legal e não ficar esperando que ela decida... tem também que lavar o carro (claro!) e pagar a conta!
E nós, temos que aprender a deixar que tudo isso aconteça! Quantas vezes ficamos cheias de dúvidas se tomamos ou n
ão a iniciativa, já que ele demora taaaaaaanto pra ligar (eita ansiedade!). E se devemos dividir a conta, já que ele provavelmente ganhe o mesmo (ou menos) que vc...
Pois é. Quando não deixamos que tudo isso aconteça naturalmente, na verdade estamos nós querendo conquistar. Querendo cercá-lo de todos os modos como se isso garantisse que ele vai gostar (ou melhor, se interessar de verdade) por nós.
Voltando a natureza humana que muitas vezes queremos ignorar: os homens só d
ão valor ao que eles conquistam. E pronto, gente. Vamos lembrar disso?
'E cruel? Diante de tantos avan
ços e conquistas pelos quais as mulheres passaram ao longo dos tempos? Talvez seja mesmo. Mas, meninas, não se enganem. Isso não muda nunca. Uma "regra" para todo o sempre.


3 comentários:

Mabia Barros disse...

Concoro, os homens só dão valor aquilo que eles conquistam.


Mas, isso se refere a toda a raça humana, não só ao gênero masculino. E acontece com outras espécies também. Há animais, os não domesticados especialmente, que só comem o que caçam, não é?

(Apesar de eu acreditar q a domesticação de animais é uma via de mão dupla; eles nos adestram e nós a eles, mas n vem ao caso...)

Pois bem? Nós mulheres também não damos muito valor ao que vem de mão beijada. Se gostar demais, bajular demais, perdemos o interesse. Algumas são mais radicais nisso, outras menos. E gostar de ser bajulada pe completamente diferente de se apaixonar pelas bajulações.
É como nos livros de romance água com açucar: o mocinho é um doce, meigo, compreensivo... mas é escorregadio e a mocinha tem lá suas inseguranças.

Na boa? Ter muita certeza é tedioso. Gostamos mesmo é de conquistar. Cada um com sua arma.

Mercedes disse...

pois bem, discordo de uma parte do texto do blog e concordo muito com a outra: uma coisa é gostar de conquistar, outra, gostar do que se conquistou...os homens paracem mais desenhados para se bastarem com a conquista...e nem se lixar muito para a conquistada... portanto, não acho q dão valor ao que conquistam mas, apenas, ao fato de terem feito uma conquista...

Ao contrário disso, nós, ou eu, quando gosto do homem, gosto de tê-lo conquistado, e assim: tanto faz se por mim, se pelo que for, desde que se comporte como conquistado. Quero que retorne e que queira ficar...

Mas homem parece que, quando gosta do que conquistou, na verdade, já terá vindo, para a conquista, conquistado.

Isso quer dizer que conquistá-los é uma perda de tempo, pois isso "já vem de fábrica": ou ele está conquistado ou não...não é necessário e nem adiantaria qq esforço...

Assim, concordo que cercá-los de cuidados não vai fazer com que gostem da gente.

O máximo q se pode fazer é cuidar da vida ciente de que há esforços mais bem aplicados...

Jéssica R. disse...

Isso é meio difícil de entender, mas pelo menos comigo acho que gosto de conquistar aqueles caras que não quero ter um relacionamento, é mais conquistar, ficar e manter na agenda pra quando for preciso. Prefiro ser conquistada por aquele cara que eu sei que pode me deixar apaixonada, que vai além do físico.
Quando o homem nos conquista, acho mais fácil que a gnt divida a cama, a conta e a vida com ele, mas se for preciso conquistá-lo que ele banque tudo então, menos um compromisso.
=D*