quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Pensando como homem ou... basta de machismo?

Mulheres podem também querer só sexo? Bom, deixa explicar, o que eu quis dizer é se nós, mulheres, conseguimos mesmo bancar uma relação (nem sei se esse seria o nome) baseada em apenas sexo.
Os homens conseguem isso com mais facilidade. Claro, somem nos dias seguintes porque morrem de medo de que aquela noite ótima - ou dia - se transforme de repente num cotidiano de insatisfações e cobranças. Resumindo: eles não querem namorar, querem manter a vida sem qualquer compromisso o máximo que puderem.
Claro que não estou generalizando. Lógico que alguns homens querem e buscam uma namorada, não têm essa visão distorcida de namoro. E vejam, hoje são vários os meios possíveis para isso, vale ler a reportagem da Época: "Amor nos tempos de Internet".
Voltando à questão que eu iniciei. Se o cara mexe com a gente, mas não a ponto de a gente idealizar um par romântico, mas sim um parceiro sexual. Vale a pena levar adiante essa idéia? Conseguiremos separar as coisas sempre? Da mesma forma que os homens dizem: mulher pra casar e mulher pra trepar? Pois é. Imagine a situação: não é só porque ele não quer namorar, é porque realmente ele não é o cara que a gente gostaria de ter ao lado. Sim, ele é boa pinta, simpático, bem humorado e está relativamente bem na profissão. Só que, tem algumas características nele que a gente sabe que não vão combinar com a gente. Prevendo o futuro eu?? Talvez. Mas a vontade de estar com ele fisicamente é avassaladora...
Será que nós mulheres conseguimos isso? Ou vou acabar me apaixonando?

4 comentários:

Mabia Barros disse...

Bom... eu sei que meus amigos me chamam de Samantha (Sex and the City). Não transei a primeira vez com um namorado e sim com um carinha na balada com quem eu tava a fim. Nunca mais o vi.

Sempre acho que relação é bom senso. Se vai dar só sexo, e o outro lado sabe disso e concorda, porquê não? Não me prendo a sentimentos. Se rolar de gostar, é pq tinha q gostar. E isso independe da mulher. Não pode é achar que sexo é relação igual namoro. Coisas diferentes. Se começar com o sexo achando que vai que o cara muda de idéia, é um tiro no escuro.

Cris disse...

Olha só, Mabia!
Super concordo, viu? Entrar nessa achando que a coisa pode mudar é furada mesmo. Tem que entrar como é e ponto ou então, melhor cair fora enquanto é tempo...

Eric do Rêgo Barros disse...

Creio que um homen da minha idade (40 anos) fica menos impulsivo e a expêriencia conta bastante, não é somente a mulher que tem um certo "sexto sentido" para as coisas, nós homens temos também uma "intuição masculina", creio que com a idade aprendemos a olhar para vida de outra maneira, nos tornamos um pouco mais responsáveis e menos "cruéis" com os outros e nós mesmos. O homem de 20 ou 30 anos as vezes chega a ser "sádico" com as pessoas e são mais imediatistas, falta experiência, mas a isso é um período de transição.
No relacionamento sexual, entendo que as mulheres estão mais cautelosas, mais criteriosas e mais seletivas. Vejo o sexo como uma coisa a ser degustada como um sorvete extremamente gelado, ou mesmo uma sopa muito quente, só é bom se for lentamente e aproveitando todos os detalhes.
Me sinto mais experiente e seguro p saber diferenciar uma relação de sexo da de amor e inclusive não se prender se for o caso. Sexo não é amor. Mas fazer sexo com amor é tudo de bom. Aproveite da forma que for.

Mercedes disse...

Estou cada dia mais Darwiniana e prefiro achar que o amor é excessão e q mulheres e homens estão engajados em algo maior que suas vontades: a vontade da natureza em garantir a reprodução da espécie!!!

Assim, temos os "jovens sádicos" que são a humanidade com pressa de reproduzir. Jogam com a quantidade - é sêmem para todo lado, doa a quem doer...E as jovens mulheres q colaboram com essa necessidade! Viva as mulheres que aceitam os cafas que garantem que a terra seja povoada! Daí, os certinhos também fazem parte do jogo: garantirão a sobrevivência, provavelmente (uns põem no mundo enquanto outros vão ajudar a educar...), e a perpetuação da cultura (que é essa metade humana q sempre ignora sua própria natureza animal)

Com a idade, os de 40 vão tentar o golpe dos atenciosos - eles mesmos, menos rápidos em muitas coisas; as de 30 vão questionar o romance, já que se viram muito bem sozinhas e - na iminência de perder as últimas chances de garantir sua prole - são as mais fogosas; e as de 40 vão deixar ainda mais o romantismo de lado: não engravidam tanto, o que é menos uma razão para se preocupar se o cara volta ou não volta...

Viva a Biologia! O resto é confusão?